Cães sabem o que sentimos?

Faça um comentário »

Cães conseguem decifrar emoções humanas, diz estudo. Investigadores da Universidade de Lincoln, em Inglaterra, acreditam que, tal como os humanos, os cães domésticos podem ser capazes de olhar para o rosto de uma pessoa e avaliar as suas emoções.

Segundo um artigo da revista “New Scientist”, citado pela BBC, quando os seres humanos vêem uma pessoa pela primeira vez têm tendência para dirigir primeiro o olhar para a esquerda, para o lado direito do seu rosto.

Este comportamento não se verifica quando as pessoas olham para outros objetos, mas apenas para o rosto humano. Ainda não existe uma explicação definitiva para esta situação, embora uma teoria defenda que o lado direito do rosto expressa melhor as emoções humanas.

Após terem mostrado a 17 cães imagens de faces humanas, de cães e de macacos, assim como objetos inanimados, os cientistas da Universidade de Lincoln chegaram à conclusão que os cães possuem a mesma capacidade.

A equipa filmou o movimento dos olhos e das cabeças dos cães, tendo descoberto que os animais, quando olhavam para o rosto humano, também direcionavam o olhar para a esquerda, para o lado direito da face. Este comportamento que não se verificou com as outras imagens.

Os investigadores sugerem que, após milhares de gerações a viver com os homens, os cães podem ter desenvolvido esta capacidade como uma forma de identificar as emoções humanas. No entanto, os cães também olharam para a esquerda quando observaram um rosto invertido, com a testa para baixo, algo que já não sucede com os humanos.

Os cientistas acreditam que isto se deve ao fato de o lado direito do cérebro dos cães – responsável por processar a informação do campo visual esquerdo – está melhor adaptado para interpretar as emoções faciais humanas do que o lado esquerdo.

Um estudo subseqüente mostrou que a tendência de olhar para a esquerda entre os cães é muito mais forte quando se deparam com um rosto humano zangado do que com um neutro ou feliz.

Fonte: Site ciberia.

Faça um comentário »

Faça um comentário